Guia de Gerenciamento de Áreas Contaminadas (IPT) – Versão Digital


“Os resultados do projeto de pesquisa ‘Desenvolvimento e validação de tecnologias para remediação de solo e água subterrânea contaminados com organoclorados’, executado pelo IPT e financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (DAEE), estão a partir de agora disponíveis em versão online. A edição impressa do guia foi lançada em dezembro de 2013 e, a partir de uma série de solicitações para ampliação da divulgação dos resultados, foi feita uma revisão do conteúdo para disponibilização de uma versão virtual e também em arquivo PDF.

Para Nestor Kenji Yoshikawa, responsável pelo Laboratório de Resíduos e Áreas Contaminadas do IPT, “as ações do IPT são diferentes da iniciativa privada no gerenciamento de áreas contaminadas: o Instituto atua por demandas do Ministério Público e do Poder Judiciário, no auxílio às empresas do governo, no desenvolvimento de P&D&I, no desenvolvimento de procedimentos de ensaios e em parcerias de cooperação técnica com empresas de consultoria ambiental”.

Em remediação de áreas contaminadas, a atuação do IPT ocorre basicamente em três segmentos: o diagnóstico ambiental, a investigação para remediação e a elaboração de estudos de viabilidade nas etapas do plano de intervenção. “Entendemos o plano de intervenção como o conjunto de medidas mais adequadas para recuperar o equilíbrio de uma área contaminada perante a legislação, incluindo estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental – esta seria a situação ideal, mas eles nem sempre ocorrem, principalmente quanto à viabilidade ambiental na questão relativa à sustentabilidade”, afirmou ele.

Os gargalos no processo de remediação também merecem atenção de Yoshikawa. Eles incluem a destinação reduzida de recursos para P&D&I na área, a dificuldade para precificação – “não há referências para elaboração de preços, principalmente por conta da dificuldade de adequação dos métodos” – e a falta de equacionamento de testes e ensaios especializados no Brasil, o que leva uma grande parte deles a serem ainda executados em outros países.”

Trabalho: Guia de elaboração de planos de intervenção para o Gerenciamento de Áreas Contaminadas. 1ª Edição Revisada, Edição IPT e BNDES, São Paulo, 2014.
Organizadores: Sandra Lúcia de Moraes, Claudia Echevenguá Teixeira e Alexandre Magno de Sousa Maximiano.

Para acessar a versão digital do guia, clique abaixo.

Sobre Hidrosuprimentos

A HIDROSUPRIMENTOS é uma empresa brasileira que produz desde 1997 tecnologias, equipamentos e acessórios para toda a cadeia de Gerenciamento de Áreas Contaminadas. HIDROSUPRIMENTOS. Tecnologia a serviço do meio ambiente.
Esta entrada foi publicada em Ambiente. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta