A IMPORTÂNCIA DA AMOSTRAGEM DE SOLO NO GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS

Texto na íntegra:
https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29735

Título do trabalho: A importância da amostragem de solo de perfil completo (ASPC) para a investigação de alta resolução em áreas contaminadas

Autores: Marcos Tanaka Riyis (SENAC SP); Edson Arakaki (SENAC SP); Mauro Tanaka Riyis (ECD Ambiental); Heraldo Luiz Giacheti (UNESP-Bauru)

MUDANÇAS DECORRENTES DA DD-038:2017

“Com a publicação da DD-038 (CETESB, 2017), e em menor escala, da NBR 16.434 (ANBT, 2015), o panorama mudou e a amostragem de solo passou a ter muita importância dentro da investigação áreas contaminadas.

As mudanças nas técnicas de amostragem de solo se iniciaram com a publicação da norma NBR 16.434 (ABNT, 2015), que é específica para Compostos Orgânicos Voláteis (VOCs). Nessa norma, são estabelecidas algumas possibilidades de preservação em campo das amostras de solo, o que, na prática, inviabiliza o uso dos antigos frascos “de boca larga”, pois a metodologia antiga não garantia a preservação dos VOCs até o momento da análise química. Além disso, é exigido por essa norma técnica utilizar o amostrador liner e a técnica da cravação contínua (Direct Push) nas amostragens de solo com o objetivo de quantificar os VOCs com análises químicas. A norma também recomenda avaliar em escala de detalhe (a cada 10 cm) a concentração qualitativa dos VOCs no amostrador liner com equipamento adequado. Em resumo, a norma NBR 16.434 fez com que as ferramentas mais usadas anteriormente para amostragem de solo (trado manual e helicoidal mecanizado) tivessem de ser substituídas pela técnica Direct Push com liner.

Mas essa exigência do uso da técnica Direct Push não rompeu com outro paradigma: a amostragem de solo ainda era feita somente na zona não saturada, embora muitos autores tenham ressaltado a importância da amostragem de solo na zona saturada para a investigação, especialmente nas áreas fonte, onde mais de 90% da massa está imobilizada no solo (PAYNE et al, 2008; PITKIN, 2008; PARKER et al., 2008; CHAPMAN e PARKER, 2011; STROO et al. 2012; SALE et. al., 2013; RIYIS et al., 2015; SUTHERSAN et al, 2015; ITRC, 2015; VILAR et al, 2018). O mercado brasileiro, mesmo com toda a literatura internacional apontando para a necessidade de uma boa amostragem de solo de perfil completo, que incluísse a zona saturada, ainda estava preso ao mínimo solicitado nos procedimentos iniciais da CETESB para investigação em postos de combustíveis.

Com a DD-038 publicada em 2017 pela CETESB (CETESB, 2017), o panorama mudou completamente, no que se refere à amostragem de solo. A técnica Direct Push incluindo a zona saturada passou a ser uma exigência, não mais uma recomendação científica ou acadêmica. A importância da amostragem de solo na investigação aumentou sensivelmente por três pontos principais dentro da DD-038:

– a necessidade de investigação em alta resolução na área fonte,

– o conceito de unidades hidroestratigráficas (UHs), e

– a obrigatoriedade da delimitação e quantificação de massa de Substâncias Químicas de Interesse (SQI) em todos os meios (solo, água e ar) e em todas as UHs.

Assim, a amostragem de solo correta em escala de detalhe passou a ser, explicitamente, a tarefa fundamental de todo o processo de investigação de uma área contaminada, pois permeia os três pontos descritos: possibilita a investigação da área fonte em detalhe; permite a identificação e delimitação das unidades hidroestratigráficas; e possibilita a quantificação da massa no solo ao mesmo tempo em que verifica qual a região mais provável de se encontrar a massa dissolvida em água subterrânea. “

Sobre Hidrosuprimentos

A HIDROSUPRIMENTOS é uma empresa brasileira que produz desde 1997 tecnologias, equipamentos e acessórios para toda a cadeia de Gerenciamento de Áreas Contaminadas. HIDROSUPRIMENTOS. Tecnologia a serviço do meio ambiente.
Esta entrada foi publicada em Ambiente e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta